Curta e fique por dentro!

[Resenha] Enquanto eu te esquecia.


Título original: Love Water Memory
Autor (a): Jennie Shortridge
Editora: Única Editora
Ano: 2014
ISBN: 9788567028125

Sinopse: Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente. Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação? Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto eu te esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.

"A pior parte era que ele não sabia como ajudá-la. Tinha falhado com ela, lhe feito mal, e a perdera. Agora que a tinha encontrado, iria desaponta-lá outra vez?"

Uma mulher foi encontrada numa praia em São Francisco, um homem ajudou-a a sair da água congelante, que acabou deixando a perna dela congelada. À emergência é chamada, pois a mulher não consegue falar ou lembrar de nada. Ao chegar no hospital, os médicos dizem que ela teve uma fuga dissociativa e que provavelmente conseguirá recuperar suas memórias.

A mulher se chama Lucie Walker e tem 39 anos, tudo isso foi descoberto após anunciarem nos jornais o caso dela, é um homem chamado Grady a identificou como sua noiva. Lucie tem medo de conhecê-lo, mas também tem medo de que nunca possa recuperar suas lembranças. Assim que se encontra pessoalmente com Grady, ela sente uma familiaridade, contudo não há nenhum outro sentimento ou sensação.

Antes do desaparecimento de Lucie, Grady estava com dúvidas em relação ao seu casamento e por isso tiveram uma briga feia, o que pode ter desencadeado a fuga dissociativa de Lucie. Com esse problema de memória, Grady vê a oportunidade perfeita para uma nova chance, já que os dias que passou sem Lucie serviram para mostrar o quanto ele gosta dela.

"Ninguém sabe dessas coisas até que aconteça com eles. Ninguém sabe o horror que são algumas coisas, até que são forçados a encarar."

Esse é outro livro que estava encalhado na minha estante e que eu não sentia a menor vontade de ler, porém como saiu na TBR e também recebi comentários positivos lá no Instagram do blog (@oculoselivros), fiquei interessada e acabei amando esse livro.

Mesmo sendo noivos e antes mesmo de Lucie perder a memória, Grady não sabia muito sobre ela ou seu passado, pois Lucie não gostava de falar sobre isso. A Lucie que Grady conheceu e a Lucie que é agora são personalidades completamente diferentes. A Lucie "antiga" era materialista e tinha pouquíssimos amigos, e não gostava de socializar, a "nova" Lucie é o oposto da antiga Lucie, e mesmo o Grady achando tudo muito esquisito no começo, ele acaba gostando mais da "nova" Lucie, principalmente quando ela reencontra sua família e é amável com eles, coisa que antes ela nunca foi.
O real problema de Lucie surgiu anos antes ainda na infância, mas só veio à tona quando já estava adulta, mesmo sua tia e única parente viva tendo notado mudanças nela anos antes, nunca passaria pela sua cabeça que o problema fosse causado pela morte da mãe de Lucie.

Ambos os protagonistas narram a história e algumas vezes a tia também narra, no começo eu não sabia que a tia era uma boa pessoa, eu desconfiava dela por Lucie não querer ter contato nenhum com ela. Só que conforme a história vai se desenrolando as explicações vão aparecendo e tudo vai se tornando claro. 

Uma leitura emocionante sobre problemas mentais e suas possíveis causas, sobre como o passado pode moldar o futuro e principalmente sobre segundas chances. Com uma narrativa fluída, Jennie vai cativando seus leitores do início ao fim. Chegará em um momento que será impossível não sentir nada diante dos problemas que Lucie enfrentou. O romance foi bem distribuído no livro, não foi algo rápido demias e nem meloso demais, foi algo na medida certa, medida essa que encanta o leitor e faz com que fiquemos na torcida para que dê certo e tenha um final feliz.

Beijos e até o próximo post!

Então, eu li até a página 100 - Risco Calculado.



+ Primeira frase da página 100:

"– Engordei? – pergunto preocupada, porque estou tentando manter o peso a todo custo."

+ Do que se trata o livro?

Valentina é uma mulher dividida, passou anos de sua vida sendo ensinada a encarar as coisas de uma certa forma e não tinha controle algum sobre sua vida. Finalmente, depois de anos de "prisão", ela entenderá que tudo o que lhe foi ensinado por Hugo estava errado, e terá sua chance de provar o que a vida tem a oferecer.

+ O que está achando até agora?

A narrativa é bem fluída, os personagens foram bem construídos e só no final poderei dizer o que achei do desenvolvimento, mas estou gostando bastante do que li até agora.

+ O que está achando da personagem principal?

Passar por tudo o que a Valentina passou e ainda se manter sã é uma prova de força e coragem enormes. E mesmo tendo uma vida difícil, ela não deixou que isso a definisse, e é justamente por isso que gosto dela, ela não é aquelas personagens mimizentas.

+ Melhor quote até agora:

"Por mais que você tente colocar o seu coração em segurança, isso não vai funcionar por muito tempo."

+ Vai continuar lendo?

Sim, pois a leitura está muito boa é preciso saber como terminará.

+ Última frase da página 100:

"Ouço-o atentamente, e a conversa sobre saúde, mesmo que referente a um animalzinho, me faz lembrar que preciso levar o..."


Lembrando que, os livros a serem comentados nesta "coluna", serão livros que não farei resenha ou que a resenha sairá bem mais lá para a frente.
Beijos e até o próximo post!

[Resenha] Lonely Hearts Club.


Título original: The Lonely Hearts Club
Autor (a): Elizabeth Eulberg
Editora: Intrínseca
Ano: 2011
ISBN: 9788580570496

Sinopse: Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto, claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo. E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora e única afiliada do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. Lá, ela sempre estará em primeiro lugar, e eles não são nem um pouco bem-vindos. O clube, é claro, vira o centro das atenções na escola McKinley. Penny, ao que tudo indica, não é a única aluna farta de ver as amigas mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, e de constatar que eles, na verdade, não estão nem aí. Agora, todas querem fazer parte do Lonely Hearts Club, e Penny é idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um namorado nem a quilômetros de distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum carinha vale a pena?

"– Penny, vai ficar tudo bem — prometeu Rita enquanto me abraçava. – Todo o mundo encontra alguns obstáculos pelo caminho."

Penny Lane acreditava que estava apaixonada por seu amigo de infância, Nate Taylor, e como eles só se viam nas férias de verão, o relacionamento entre eles nunca pode de fato acontecer. Contudo, isso não os impediu de aproveitarem o verão. Penny achava que estava pronta para fazer sexo com Nate, e por isso armou um plano para surpreendê-lo, mas no fim que acabou surpresa foi ela, que encontrou-o com outra em sua própria casa.

Inconformada com o quão babaca ele foi – não só ele, mas todos os garotos com quem se relacionou –, ela criou o Lonely Hearts Club, um clube com a proposta de fazer as meninas enxergarem que merecem muito mais do que ser tratada como um lixo por seu parceiro, e para Penny manter distancia dos garotos (hahaha).

Penny nunca achou que a ideia daria tão certo, pois no começo tudo não passou de uma brincadeira, algo para mantê-la longe dos idiotas. Nunca passou por sua cabeça que outras garotas fossem querer fazer parte disso, e o clube ganhou muito rapidamente popularidade. Essa popularidade do clube atraiu alguns encrenqueiros, como o diretor da escola onde Penny estuda e os atletas (babacas de marca maior). Como será que Penny lidará com isso?

"É, eu ia me recuperar. Poderia colocar meu coração em risco e me recuperar, e tudo o que me fizesse sofrer, no fim, só me deixaria mais forte.  Eu realmente mereceria tudo o que queria: alguém que me valorizasse, alguém em quem pudesse confiar, alguém que gostasse de mim como eu sou."

Esse livro estava há muito tempo na minha wishlist, não sabia nada sobre, só queria tê-lo na estante por causa da capa que é muito bonita. Nunca li nenhuma resenha, então não sabia muito bem como seria a história, mas pela sinopse eu achava que se trataria de uma história voltada mais para o público adolescente, e apesar de eu gostar de alguns livros do gênero, não sabia o que acharia desse. 

O livro me surpreendeu muito! Pois a autora usou uma linguagem apropriada para falar com seu público-alvo e ao mesmo tempo conscientiza-las sobre o feminismo, mesmo que esse tema não esteja tão aparente, é algo que fica subentendido nas entrelinhas. Eu adorei essa proposta inovadora. É algo bem diferente dos livros que os adolescentes vem lendo ultimamente, mas é um livro que agrega muito, principalmente agora que o tema feminismo vem sendo debatido com mais força, coisa que na época do lançamento do livro não era muito falado.

A Penny tem características bem variadas, ela não é super popular, mas também não é daquelas meninas que fazem de tudo para misturar ou mesmo daquelas que querem ser invisíveis. Ela é simplesmente ela mesma, mesmo isso não agradando a todos. Por ser uma pessoa prestativa e que não gostava de discriminar, ela aceitava todas as garotas no seu clube, até mesmo aquelas detestáveis *cof, cof Missy cof, cof*. Um protagonista muito marcante, principalmente pelo fato de ser nova e usar sua voz e suas ideias para fazer o bem ao próximo.

Esse é um daqueles livros que você esperar para ler há muito tempo e quando finalmente o tem nas mãos o devora em poucas horas. O fato da narrativa ser fluída e a linguagem da autora um pouco mais informal ajudou bastante nisso. Além disso, somos embalados por belas canções dos Beatles (quem é fã com certeza adorará). A editora caprichou bastante na diagramação e nos pequenos detalhes. Um relato fiel e nem um pouco romantizado sobre os babacas que cruzam nossas vidas, sobre como a adolescência é uma fase de aprendizagem e mudanças, sobre amizades, sobre descobrir quem somos, sobre música, sobre memórias boas e divertidas compartilhadas com que amamos, mas sobretudo sobre o amor ❤️. "Love is all you need... Ou será que não?"

Beijos e até o próximo post!

[Tag] Anastasia BookTag.


Olá, todo mundo!

Graças a alguns imprevistos fiquei sem tempo de elaborar um post diferente, mesmo já estando com a ideia pronta (na  cabeça). Há algum tempo, eu vi essa tag no canal Infinite Book List, e foi a Joana (dona do canal) que criou essa tag, e como na infância eu amava essa animação, quis trazê-la aqui para o blog 😀.
Rússia - um livro que se passa na Rússia ou um personagem russo.

Sinopse: Rose Hathaway é uma vampira, guarda-costas de sua melhor amiga Lissa, uma princesa vampira Moroi. Há dois anos elas estão fugindo, mas agora foram capturadas e estão sendo levadas para a Escola São Vladimir, justamente o lugar onde mais longe estão o perigo, e vão ter que lutar para proteger uma à outra.

Essa foi muito fácil de responder, lógico que eu escolheria o russo mais gostoso, mais desejado, mais querido do mundo da literatura, o Dimitri (óbvio) 💙 Mozão master! Além de ser a gostosura em pessoa, Dimitri é alguém que luta por aqueles que ama, teve uma infância humilde e isso faz com que ele seja pé no chão, apesar das inúmeras conquistas.

Romanovs - um livro com família real.

Sinopse: Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Eu pensei, pensei e pensei, contudo só minha vinha A Seleção a mente, acredito que por ser um dos primeiros livros com família real que li. Além disso, é uma leitura muito cativante, doce e fofa 😻.

Anastasia - um livro onde o protagonista teve perdar de memória.

Sinopse: Lucie Walker não se lembra de quem é ou como foi parar nas águas geladas da Baía de São Francisco. Encaminhada para uma clínica psiquiátrica, ela aguarda até que um homem chega afirmando ser seu noivo. Entretanto, com seu retorno para casa, essa mulher sem memória vai tomando conhecimento de sua personalidade antes do acidente, da pessoa controladora, fria e sem vida que era, e dos segredos da infância e da família, assim como da situação do noivado e dos mistérios que podem ter provocado o acidente. Será que ela quer isso de volta? Será que essa nova Lucie conseguirá manter o amor por Grady, ou a oportunidade de recomeçar será sua salvação? Intenso, franco e incrivelmente emocionante, Enquanto eu te esquecia é um livro delicado, que nos questiona sobre a maneira que vivemos e nos lembra que sempre temos uma nova chance de ser feliz.

Li Enquanto eu te esquecia faz alguns meses e eu adorei o desenvolvimento do livro. E o fato de Lucie ter "perdido" a memória só fez com que a história ficasse mais interessante, vê toda a sua luta para descobrir o porquê e como era antes de perder a memória.

Rasputin - um vilão que age por vingança.

Sinopse: Nesta aventura, o feiticeiro cresceu e está com 14 anos. O início do ano letivo de Harry Potter reserva muitas emoções, mágicas, e acontecimentos inesperados, além de um novo torneio em que os alunos de Hogwarts terão de demonstrar todas as habilidade mágicas e não-mágicas que vêm adquirindo ao longo de suas vidas. Harry é escolhido pelo Cálice de Fogo para competir como um dos campeões de Hogwarts, tendo ao lado seus fiéis amigos. Muitos desafios, feitiços, poções e confusões estão reservados para Harry. Além disso, ele terá que lidar ainda com os problemas comuns da adolescência - amor, amizade, aceitação e rejeição.

Senti um branco quando fui responder essa pergunta, porque só me vinha a mente os mocinhos (as) e acredito que isso não fosse valer muito. Então, vou de clichê: Voldemort. Mesmo ele sendo o vilão e tals não consigo odiar esse personagem ☺️.

Anastasia e Dimitri - um casal hate to love.

Sinopse: “No limite da ousadia” conta a história de Beth Risk, a miga durona de Noah, de No limite da atração. Este livro é um spin-off, passando-se no mesmo universo do primeiro, com participações especiais de Isaiah, Noah e Echo. Se você é fã de No limite da atração ou está descobrindo este mundo agora, certamente vai se deixar envolver pela paixão perigosa e arrebatadora de Beth e Ryan.

Para essa categoria eu tenho vários casais desse tipo, mas recentemente li No Limite da Ousadia e os protagonistas se encaixam muito bem. Beth não queria se envolver com Ryan, por causa de seu passado e porque queria algo diferente do que Ryan queria. 

Once upon a december - um livro que se passa no mês de dezembro.

Sinopse: Na noite de Natal, uma tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para encontros românticos. Em “Deixe a Neve Cair”, bem sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. E provam que o amor verdadeiro pode acontecer quando e onde menos se espera.

Deixe a neve cair é um livro de contos que se passa no Natal, e eu gostei muito.  Foi uma leitura leve e muito divertida.

Beijos e até o próximo post!

[Resenha] Preces e Mentiras.


Título original: Prayers and lies
Autor (a): Sherri Wood Emmons
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
ISBN: 9788581630458

Sinopse: Quando Bethany, de 7 anos, conhece sua prima de 6 anos, Reana Mae, é o começo de uma relação desajeitada que salva ambas de uma solidão profunda. Todo verão, Bethany e sua família vão de Indianapolis para West Virginia’s Coal River Valley. Para a mãe de Bethany, essas viagens até lá a lembram de sua infância pobre e composta por minas de carvão, um lugar do qual ela desejou escapar. Mas seus amados familiares e a amizade de Bethany e Reana Mae continuavam trazendo lembranças. Mas conforme Bethany cresce, ela percebe que a vida nessa comunidade pequena e unida não é tão simples quanto pensava... que as cabanas na beira do rio, que guardam muito da história de sua família, também geram fofocas escandalosas... e aqueles mais próximos a ela guardam segredos inimagináveis. No meio das florestas densas e da beleza silenciosa do vale, esses segredos estão finalmente sendo revelados, com uma força suficientemente devastadora para acabar com vidas, fé, e a conexão que Bethany pensou que duraria para sempre.

"Ela aprendeu cedo a depender apenas de si mesma."

Bethany e Reana Mae são primas, mas por serem de idades diferentes não tinham amizade, até que Bethany aos sete anos passou a enxergar Reana Mae, na época com seis anos, como sua melhor amiga. A amizade só cresceu, ao ponto de se considerarem irmãs.

Ambas têm uma família grande e complicada, com muitos segredos embaixo do tapete. Mas, por serem crianças elas não dão muita importância a isso. Contudo, as complicações começam a piorar, e uma encontra na outra a força de que precisam para enfrentarem as coisas. Reana Mae é filha única e a princípio é meio tímida, já Bethany tem três irmãs mais velhas, mas por conta da diferença de idade – e no caso da Tracy, a maldade dela –, fez com que não fossem amigas.

Só há um único problema nessa amizade, a distância. Bethany e sua família moram em Indianápolis, enquanto que Reana Mae mora em Vale de Coal River e só durante os verões ou datas especiais que podem se ver. Para compensar a distância, elas começam a trocar cartas.

Depois de anos e de um período difícil na vida de Reana Mae, ela passa a morar na casa de Bethany com sua família. Mas, a Reana Mae que a Bethany conhecia, aquela que costumava passar horas brincando de boneca com ela, não existe mais. Reana Mae está completamente mudada.

"Não podia protegê-la de sua solidão nem de sua raiva.  Eu podia apenas amá-la, como sempre, e rezar para que aquilo fosse suficiente."

Ganhei esse livro no ano passado, desde então vinha pegando poeira na minha estante. Como nunca tinha ouvido falar nele, e a capa não ser muito bonita – sim, sou dessas que lê livros pela capa bonita 😁 –, não sentia o menor interesse em fazer esta leitura. Aí, como saiu na minha TBR, acabei lendo.

E me arrependo de não ter lido antes. Apesar do tom leve da narrativa, afinal vemos tudo pelos olhos de Bethany, que no começo era apenas uma criança, o enredo irá abordar temas pesados, como estupro, bipolaridade, suicídio, infidelidade e segredos que algumas famílias insistem em esconder. 

Reana Mae foi a personagem que mais me chamou a atenção, por ser filha única e sobretudo mulher, quando tudo o que seu pai queria era um menino, ela acaba sendo colocada de lado pela mãe. Mãe essa que fazia de tudo pelo marido, ao ponto de menosprezar a filha. Rejeitada, menosprezada, abusada (tanto física quanto psicologicamente), incompreendida, mal amada, essas são as descrições que me vem à mente quando penso na Reana. Ela sofreu muito e nunca teve ninguém para intervir, até que o pior aconteceu. Mas, aí já era tarde demais, o dano já havia sido feito e ela aprendeu a conviver com isso. 
Bethany, em comparação com Reana, é uma menina privilegiada. Mesmo não tendo tantos dramas na sua vida, ela acompanha de perto os dramas da irmã, Tracy, de Reana e da família. Muitas vezes era colocada de lado, não só ela como suas irmãs, por causa dos problemas de Tracy, que tomava toda a atenção dos pais.
Duas garotas de uma mesma família. Uma sofrendo por causa das injustiças que lhe foram cometidas no decorrer dos anos, a outra sofrendo por presenciar as injustiças sem poder fazer muita coisa. Ambas aprenderam que a vida nem sempre é um mar de rosas.

Um relato brutal sobre as injustiças que as pessoas sofrem diariamente, sobre como alguns segredos podem acabar com uma família ou uma pessoa. Uma narrativa fluída e emocionante. Personagens tocantes e alguns cativantes, daqueles que te fazem sofrer, chorar, sentir raiva por eles, mas acima de tudo, senti empatia, se colocar no lugar ou na situação do personagem. Desafio qualquer um a ler esse livro e não sentir nada.

Beijos e até o próximo post!
© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo