Curta e fique por dentro!

[Resenha] Bound by Duty.


Título original: Bound by Duty
Autor (a): Cora Reilly
Editora: Createspace
Ano: 2015
ISBNB00R6C7580

Sinopse: A esposa de Dante The Boss Cavallaro morreu há quatro anos. Prestes a se tornar o mais novo líder da máfia de Chicago, Dante precisa de uma nova esposa, e Valentina foi escolhida para o papel. Valentina também perdeu seu marido, mas seu primeiro casamento foi só de aparências. Quando tinha dezoito anos, ela concordou em se casar com Antonio para esconder a verdade: que ele era gay e estava apaixonado por um homem de fora da máfia. Mesmo após a sua morte ela guardou o seu segredo, não só para preservar a honra de um homem morto, mas também para proteger a si mesma. Mas agora que ela está prestes a casar com Dante, seu castelo de mentiras ameaça desabar. Dante tem apenas trinta e seis anos, mas já é temido e respeitado na Família, e é conhecido por sempre conseguir o que quer. Valentina está apavorada que a noite de núpcias revele seu segredo, mas suas preocupações se provam infundadas quando Dante se mostra indiferente a ela. Logo o seu medo é substituído por confusão e indignação. Valentina está cansada de ser ignorada. Ela está determinada a conseguir a atenção de Dante, mesmo que ela não consiga ter o seu coração, que ainda pertence à sua falecida esposa.

"Ele parecia tão contido e controlado, como se suas emoções ficassem engarrafadas tão profundo dentro de si que nem mesmo ele poderia alcançá-las. Fiquei imaginando o quanto era resultado da morte de sua esposa e quanto era seu comportamento natural."

Valentina perdeu o marido a pouco mais de seis meses e achava que não precisava se preocupar com um novo casamento, e para ela estava tudo okay, pois sempre desejou casar com alguém que amava. E, apesar de amar Antonio, ao conhecê-lo melhor percebeu que não o amava como deveria. Seus planos de permanecer viúva foram frustados ao saber que se casaria novamente com Dante Cavallaro, futuro carpo da máfia de Chicago.

Dante também é viúvo e ao contrário de Valentina, ele teve um bom casamento, repleto de amor e companheirismo. Ao perder a esposa se fechou para o mundo e todos passaram a chamá-lo de Cold Fish (peixe frio). Ele se tornou implacável e um dos melhores membros da máfia, e mesmo se não fosse filho do atual carpo, teria grandes chances de se torna o eleito. Além disso, ele tem a melhor mira da máfia de Chicago, o que o torna perigoso e letal.

Valentina não entende porque ele aceitou o casamento arranjado, eles não se conheciam e ele nunca deu indícios de que tinha algum interesse por ela. E de acordo com a sociedade em que vivem, Valentina é considerada velha e por já ter sido casada não seria a escolha perfeita para o futuro carpo.

Os arranjos para o casamento são feitos rapidamente, pois a família dela tem receio que Dante mude de ideia. O que ninguém sabe é que Valentina esconde um segredo que pode arruinar a imagem de seu falecido ex-marido e colocá-la numa situação ruim.

"Se você cresce com violência e morte, você aprende a selar seu coração para o mundo."

Acho que já comentei sobre isso aqui no blog, senão saberam agora, faço parte de um grupo de leitura no WhatsApp e lá uma colega me recomendou essa série. Até agora já li os dois primeiros livros e adorei. Porém, o machismo da máfia é algo bem intenso e pode incomodar algumas pessoas, me incomodou, no entanto no geral a série me agradou bastante e se tornou uma das minhas queridinhas.

Valentina guardou um grande segredo por muito tempo, e agora que acreditava estar livre disso, ela tem que se manter calda e dar um jeito de acobertar isso, coisa que não será muito fácil. Outra coisa que não é fácil para ela, é o casamento com Dante, ele não é cruel com ela, mas não se importar (ou demostrar se importar) o suficiente para fazer a convivência ser boa. O que ajuda a se manter sã é a amizade com e seu novo trabalho numa das boates da máfia, teve que usar todo seu poder de persuasão para que Dante concordasse com isto.

Como eu disse, Dante apesar de ser o líder da máfia, não é uma pessoa ruim ou sente prazer com a desgraça dos outros. Ele é na dele e por achar que os princípios que regem a máfia são arcaicos, acabará atraindo a raiva de alguns membros. Em relação a Valentina, Dante não a ama (ainda), porém sente algo muito forte por ela, mas ainda na conseguiu se desapegar da sensação de estar traindo sua falecida ex-esposa. Eu achei o personagem bem intenso, profundo e bastante complexo, a autora o desenvolveu muito bem.

Do meio para o final do livro, muitas tretas rolam. Não posso explana-lãs aqui, porque seria spoiler, mas posso dizer que deixará o queixo do leitor no chão. Além disso, na cena do confronto ~deixo a curiosidade no ar haha~, o leitor não sabe como poderia sair algo bom dali e se surpreenderá bastante ao saber onde realmente está a lealdade de Valentina, que sempre desprezou os princípios da máfia. É algo bem chocante e deixou em mim uma sensação de ânsia, eu queria saber como ela sairia daquela situação e qual lado escolheria. Foi bem tenso essas cenas, contudo o final valeu muito a pena. E mesmo sendo uma romântica incurável, gostei do modo como a autora nos apresentou esse casal e como fez com que eles se apaixonassem.

Sabe aquela leitura que te dá um mix de sentimentos? Que você não sabe se vai dar certo o relacionamento entre os protagonistas, mas ainda assim insiste em ler para saber no que vai dar? Um livro sobre o qual você não sabe o que esperar e que foge do convencional, porém ainda assim consegue te prender, envolver e cativar. Assim foi minha experiência com Bound by Duty. Demorei um mês para escrever essa resenha e sinto que ainda não consegui expressar o quanto essa leitura me impactou. E é bem difícil quando não posso falar de certas situações ou de certos personagens com mais detalhes por não querer dar spoiler. Tudo o que posso fazer é recomendar essa obra. Leiam, leiam, leiam!



Beijos e até o próximo post!

[Resenha] Bound by Honor.


Título original: Bound by Honor
Autor (a): Cora Reilly
Editora: Createspace
Ano: 2014
ISBNB00PUS8AEK

Sinopse: Nascida no seio de uma das mais importantes família da máfia de Chicago, Aria Scuderi luta para encontrar seu próprio caminho num mundo onde opções não são oferecidas. Aria tinha apenas quinze anos quando seus pais a prometeram a Luca O Cruel Vitiello, o mais velho dos filhos do chefe da Cosa Nostra em Nova York, para garantir a paz entre as duas famílias. Agora, aos dezoito anos, o dia pelo qual Aria esteve temendo por anos está se aproximando perigosamente: seu casamento com Luca. Aria está aterrorizada de se casar com um homem que mal conhece, especialmente alguém como Luca, que conseguiu seu apelido, O Cruel, esmagando a garganta de um homem apenas com as mãos. Luca pode ser um dos homens mais cobiçados de Nova York por sua boa aparência, riqueza e carisma predador, mas as garotas da sociedade nova-iorquina que se jogam em cima dele não sabem o que Aria sabe: que a aura de bad boy não é apenas um jogo; sangue e morte se escondem sob os impressionando olhos cinzentos e sorriso arrogante de Luca. No mundo dela, um exterior bonito geralmente esconde um monstro; um monstro que pode facilmente tanto matar quanto beijar você. O único jeito de escapar do casamento com Luca seria fugir e deixar tudo que ela já conheceu para trás, mas Aria não pode suportar o pensamento de nunca mais ver sua família outra vez. Apesar do seu medo, ela decide ir em frente com o casamento; Aria cresceu entre predadores como Luca, e ela sabe que até mesmo os bastardos com o coração mais frio possuem um coração, e ela tem toda a intenção de trabalhar o seu caminho até o de Luca.


"Chega um ponto que todos os meninos têm que perder a sua inocência. A máfia não é um lugar para os fracos."

Por problemas com a Tríade e os Russos, as máfias de New York e Chicago, que antes eram rivais, decidem se unir para exterminar com os inimigos. Como prova de união um casamento arranjado é planejado, Aria de casará com Luca, o futuro capo da máfia de New York.

Aria Scuderi é a filha mais velha do consiegle da máfia de Chicago e só tinha quinze anos quando foi prometida a Luca, se fosse por seu pai, ela teria casado com esta idade mesmo, mas o planejado ficou para os dezoito. Aria não conhece Luca, tudo o que sabe sobre ele descobriu perguntado a outros membros da máfia, e o que descobriu não é nem um pouco animador. Nos três anos que se seguiram, Aria não o viu novamente, porém ele lhe mandava presentes em todas as datas comemorativas.

Quando chega o grande dia, Aria está muito nervosa e até cogita fugir, contudo sabe que será inútil e que a caçariam pelo resto de sua vida. Após o casamento, ela é obrigada a ir morar em New York com Luca, e assim tem que conviver com os parentes dele. Aria não sabe o que pensar sobre Luca, imaginou que ele seria mais cruel, e no entanto, ele tem sido bem agradável. Entretanto, isso não durará para sempre e as brigas entre eles serão constantes, será que há a possibilidade de algo bom surgir daí?

"Você não deve me amar, Aria. Eu não sou alguém que deve ser amado. As pessoas têm medo de mim, elas me odeiam, elas me respeitam, elas me admiram, mas elas não me amam. Eu sou um assassino. Eu sou bom em matar. Provavelmente sou melhor nisso do que em qualquer outra coisa, e eu não me arrependo. Porra, às vezes eu até mesmo gosto disso. Esse é o homem que você quer amar?"

Uma colega me falou dessa série e fiquei mega curiosa, porque sempre gostei desse universo da máfia. Não sabia nada sobre a história além do que me ouvi ser comentado, e devo dizer que foi uma leitura muito envolvente, tiveram algumas coisas que não curti, mas ao colocar na balança, o lado positivo com certeza ganha.

Aria é uma menina bem família, apesar do relacionamento controverso com o pai, e por isso sente muita dificuldade em se adaptar a NY e a vida de casada, principalmente porque o Luca não é um marido normal e nunca está presente. Aria começa a se retrair e não tem interesse por nada, mas ao presenciar algo inesperado e que a magoou mais do que ela esperava, ela decidi fugir e não mais aceitar essa situação. Ao invés disso separa-los, acaba os unindo e a partir daí o relacionamento deles passa a ser um relacionamento real.

Luca é encantador (quando quer) e fiquei bem curiosa sobre ele no início da leitura. Ele tem todo aquele ar de bad boy, prerigoso mesmo que me deixou fascinada, mas foi ao mostrar seu lado compreensivo que gostei dele. Ele não é cruel como eu esperava que fosse, no entanto não se enganem com aquele rostinho de anjo, ele pode transformar a vida de qualquer um num inferno.

Em relação ao romance, eu achei que a autora foi bem cuidadosa na hora de desenvolver o relacionando da Aria com o Luca. Primeiro porque eles não se conheciam, então não podia se apaixonar do dia para noite, segundo porque ele é o líder da máfia, sendo assim não podia ser flores e chocolates. Tinha que ser algo no meio dessas duas coisas. E, sendo totalmente honesta com vocês, eu amei isso. Não é um romance que é empurrado pro leitor, é algo que vai sendo desenvolvido no dia-a-dia. E é intrigante acompanhar duas pessoas com personalidades diferentes, que não se conhecem de verdade, tendo que viver juntos.

A única coisa que me incomodou nessa série é o machismo. Eu sei que na hierarquia da máfia de fato existe isso, mas, é algo que para mim é tão ultrapassado que me deixou desconfortável. Só que o legal da obra é que a própria autora se conscientizou disso e usou suas mocinhas para combaterem o machismo. 

A leitura é bem fluída e pega o leitor de jeito, se eu pudesse me dar ao luxo de não fazer nada da vida e só ler, com certeza teria terminado o livro em poucos horas, a escrita da autora nos coloca realmente naquele universo. É uma narrativa cativante, fluída, com uma escrita mais leve, envolvente e que foi bem desenvolvida. Um romance complicado que foi sendo construído pouco a pouco e que no fim me fez suspirar. Personagens intrigantes einteressantes e com personalidades bem distintas. Enfim, uma história incrível!

P.s: Infelizmente, o livro não foi lançado aqui no Brasil :(

Beijos e até o próximo post! 

[Resenha] Nunca Jamais parte 1.


Título original: Never, never
Autor (a): Colleen Hoover e Taryn Fisher
Editora: Galera Record
Ano: 2016
ISBN: 9788501106216

Sinopse: Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar. Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado.

"Tudo nela é cativante, como a consequência de uma tempestade. As pessoas não encontram prazer na destruição, mas queremos olhar de todas as formas."

Charlie despertou na escola no meio das aulas sem saber quem era e onde estava, após tentar descobrir se estava com algo no bolso que pudesse lhe dizer algo, ela descobre seu nome e sua idade. Uma pessoa que ela não reconhece a chama e a leva até a aula seguinte, e tudo o que Charlie faz é rir e assentir em determinados momentos.

Na hora do almoço, a garota que se diz sua amiga a leva até uma mesa lotada, lá ela encontra Silas, seu suposto namorado, e todos os seus outros amigos notam a distância que há entre eles e para disfarçar eles conversam. E é aí que Charlie nota que o Silas está esquisito. E, quando ele sai de repente no meio da aula, ela o segue e o confronta, e aí tem certeza que ele perdeu a memória também.

Juntos, eles vão em busca de algo que os faça lembrar quem eram ou o que lhes deixou naquela condição. Só que quanto mais eles descobrem algo, mais dúvidas surgem. Será que eles conseguiram descobrir o que lhes causou amnésia?

"Ela está perdida em pensamentos.Eu estou perdido nela."

Ao fazer esta resenha optei por não dar muitas informações sobre a história, pois o legal do livro é ir descobrindo junto com os personagens. O leitor nota quanto os sentimentos deles espelham os nossos a cada nova descoberta.

Demorei para terminar esse livro porque estava atolada de coisas de fim de ano para resolver, mas, se fosse numa época diferente, eu teria lido em no máximo em dois dias, pois a história é tão envolvente que tudo o que o leitor quer é ler mais, tanto é que perdi a minha parada e tive que fazer um enorme retorno de ônibus para chegar em casa hahahaha (agora, eu rio, porém na hora senti muita raiva).

Charlie e Silas são personagens complexos e isso os torna muito interessantes, porque ao não lembrarem de nada, eles acabam agindo naturalmente e assim revelando uma imagem deles que os outros personagens não estão acostumados a verem.

O modo como se relacionam é confuso e ao mesmo tempo interessante, apesar de se conhecerem há anos, eles não se conhecem mesmo, já que perderam a memória. E a toda hora um deles se vê pisando em casca de ovos perto do outro. O Charlie aparentava ser o mais apaixonado e dedicado ao namoro dos dois, mas ao saber de um outro relacionamento dele, tudo o que eu achava que sabia sobre ele ruiu por terra.

Uma leitura incrível que te deixa na ânsia por mais, recheada de mistérios que fazem o leitor pensarem em umas mil possibilidades, com muitos esqueletos no armário e muitas mentiras a serem descobertas. Mas, ao mesmo tempo é envolvente, um tantinho divertida e viciante. É impossível dizer onde uma autora terminar de escrever e a outra começa, achei a escrita delas muito completa, é como se elas tivessem o mesmo pensamento e a mesma forma de pensar, eu adorei!

"Eu não posso me lembrar de nada sobre ela, mas eu apostaria que seu sorriso era a minha parte favorita dela."

Beijos e até o próximo post!

[Quote] Nunca Jamais.



Olá, todo mundo!

Faz um bom tempo que não trago esse tipo de postagem aqui no blog, acredito que essa seja a primeira desse ano. Então, vamos lá! Escolhi o livro com os quotes mais fofinhos que já li ❤. Além disso, estou bem empolgada para a continuação desse livro.

"Tudo nela é cativante, como a consequência de uma tempestade. As pessoas não encontram prazer na destruição, mas queremos olhar de todas as formas."

"Seus olhos são como dois livros abertos e de repente eu quero devorar cada página."

"Ela está perdida em pensamentos.Eu estou perdido nela."

"Eu não posso me lembrar de nada sobre ela, mas eu apostaria que seu sorriso era a minha parte favorita dela."

"Eu quero sentir isso de novo. Eu quero lembrar o que se sente quando se ama alguém assim. E não apenas qualquer pessoa. Eu quero saber como é amar Charlie."


Beijos e até o próximo post!

[Resenha] A garota do calendário - junho.


Título original: Calendar Girl: June
Autor (a): Audrey Carlan
Editora: Verus
Ano: 2016
ISBN: 9788576865490

Sinopse: O sexto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas. Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Mia vai passar o mês de junho em Washington com Warren, um coroa rico que precisa de uma mulher a seu lado para tratar com políticos e investidores. O acordo entre eles não envolve sexo — já com Aaron, o filho de seu cliente, Mia não pode garantir.

"Mas esse é o problema do coração e da mente. Eles raramente se equilibram ou mostram uma visão realista das coisas."

Em junho, Mia é contratada para ser a namorada troféu de Wayne Shipley, um homem podre de rico e bem mais velho do que os clientes habituais, que só só queria uma fachada, nada além disso. Wayne faz parte de um seleto e privilegiado grupo de homens chamado One Percent. Ele precisa ganhar parceiros para seu projeto de caridade. Mas, para isso precisará fazer amizade com os peixes grandes.

Mia achava que seria um mês muito tranquilo, já que tudo não passava de fachada. Contudo, ao chegar na mansão do Sr. Shipley, ela conhece seu filho Aaron, o mais jovem senador de Washington, além de um pecado ambulante. Eles flertam descaradamente e Mia está disposta a ter alguma diversão esse mês.

O que era um flerte inocente se enacaminha para algo mais grave quando Mia acorda com Aaron a tocando intimamente, por estar tão mal, ela decidi deixar isso para depois, preocupada apenas em se curar. Passado o incidente, Mia decidi bancar a cupido novamente e juntar Wayne e Kathleen, a governanta da mansão, com quem o Wayne mantém um relacionamento há anos. Mia vê o quanto machuca Kathleen e decidi fazer o Wayne enxergar a verdade.

"Aquela noite foi o momento mais bonito da minha vida. Finalmente me senti inteira... amada. Não importava o que o futuro me trouxesse, eu sempre teria aquilo."

Sabe quando tudo está bem e você sente que vem uma bomba a caminho? Foi como me senti ao terminar o livro de maio. Mia estava muito feliz sendo acompanhante e até chegou a cogitar a prermancer trabalhando com isso. Nesse livro veremos o perigo de se ser uma comoanhante e não foi nada bonito.

Mia estava mega feliz após passar um mês no Havaí, mas foi só saber que o Wes continua com a Gina, ela fica triste e com raiva, mesmo sabendo que não tem direito nenhum de opinar sobre isso. Eles até ficam em contato, mas é tudo tão doloroso para ela, que prefere manter distância.

Kathleen é uma personagem maravilhosa, gostei muito dela, sua hospitalidade me fez lembrar a minha avó <3. Seu Wayne também não fica atrás, ele é um senhor tão fofinho e preocupado em ajudar aos outros, que me cativou com seu jeito turrão de ser, mesmo que por dentro fosse um doce. O Aaron é um babaca escroto (sorry pelo palavreado), que como todos os babacas não mostram sua real face. Me deu um baita ódio dele, fiquei cega de tanta raiva e tudo o que eu queria era batê-lo até a morte.

Apesar da situação ruim, o legal foi que deu para matar a saudade de alguns outros personagens, como Mace, Rachel e Tai <3 (que mal se foi e já quero de volta, de preferência na minha vida haha).

O que a autora quis passar com a cena do assédio, a agressão e por muito pouco quase um estupro, foi que não importa a roupa que uma mulher vista, não importa o modo como ela se comporta, não importa qual sua profissão, enfim, nada justifica o estupro ou assédio. NADA. Para mim a autora passou a mensagem que queria em alto e bom som — ou palavras né haha.

Esse é o livro mais tenso da série que li até agora. Contudo, mesmo se tratando de um assunto tenso, a autora não perdeu suas características escrita leve, fluída e uma história envolvente.


Beijos e até o próximo post!
© Entre óculos e Livros - Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayanne.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo